APROESP Associação de Professores e Servidores Públicos do Magistério Oficial do Estado de São Paulo

Notícias

A importância da formação de um patrimônio pessoal

 

Não pela ótica do acúmulo pelo acúmulo, de reunir bens e gerar riquezas simplesmente por sermos estimulados o tempo todo pelos impulsos do consumo, mas, acima de qualquer outra coisa, pela percepção de que este é o caminho mais eficiente para se chegar a uma estabilidade financeira, garantindo assim a própria segurança e dos familiares, mesmo que em cenários de crise econômica.

Porém, para se formar um patrimônio pessoal é necessário seguir alguns passos básicos, começando pela organização do orçamento pessoal, e se necessário, promover algumas mudanças. Ter disciplina e organização para manter os bons hábitos e manter o foco no objetivo. Veja, a seguir, 3 dicas que vão ajudá-lo:

1 – CRIE UM PLANEJAMENTO FINANCEIRO

Leia-se criar o hábito de controlar as finanças e, em linhas-diretas, trata-se do que você pode fazer hoje para chegar onde quer amanhã. Existem diferentes formas de colocar esse plano em prática, das boas e velhas anotações à lápis no papel às planilhas no Excel ou até em modernos aplicativos de finanças. Não importa como, desde que todos os gastos e receitas sejam lançados, do pãozinho francês e da conta de luz àquela nova camiseta comprada. É importante que haja transparência, e que de fato tudo aquilo com o que se gastou seja anotado, tanto os custos fixos (aluguel, contas em geral) quanto os custos variáveis (supermercado, roupas). Especialistas do mercado financeiro afirmam que a estratégia mais eficiente é manter os custos fixos no menor nível possível e trabalhar os custos variáveis, semifixos e semivariáveis ao longo de cada mês.

2 – REDUZA OS GASTOS MENSAIS

Quando se há um controle das finanças, naturalmente, se tornam visíveis os gastos supérfluos. É possível identificar em quais pontos podem ser feitas algumas reduções, como diminuir o pacote de TV a cabo por um que tenha apenas os canais realmente assistidos, ou evitar comer fora de casa tantas vezes, por exemplo. Os custos fixos costumam apresentar poucas oscilações e, por este motivo, é nos custos variáveis que geralmente se perde o controle, principalmente quando não há um equilíbrio nos gastos.

3 – INVISTA NAQUILO QUE REALMENTE IMPORTA, MESMO QUE A LONGO PRAZO

Um dos maiores custos fixos, e que se entenda também como um desperdício de dinheiro, é o aluguel, maior dispêndio mensal da maioria dos brasileiros, e que não tem volta. Quando se há a possibilidade de financiar um imóvel, o desembolso passa a ser por um bem que será seu, e que comporá o seu futuro patrimônio. Quando as condições de aquisição são facilitadas, como nos empreendimentos Residencial Casa Grande e Condomínio Altos Bela Vista , da APROESP, em parceria com as construtoras Vitória Construções Ltda. e KSE, e que oferecem subsídios de até R$ 27.500, as parcelas apresentam valor médio inferior ao encontrado em muitos alugueres no Estado de São Paulo.

Tenha em mente que o melhor investimento é aquele que ajuda você a alcançar de forma confortável o objetivo que você deseja. Aos servidores públicos estaduais interessados na aquisição da casa própria, o primeiro passo para a conquista é associar-se à APROESP, que oferece uma série de benefícios por R$ 34,02/mês. ACESSE AQUI, preencha o formulário no site e faça parte da família APROESP.

Publicado em Notícias

Comente! (0) ↓