APROESP Associação de Professores e Servidores Públicos do Magistério Oficial do Estado de São Paulo

Notícias

Como combater a evasão escolar?

Um a cada quatro alunos que inicia o ensino fundamental no Brasil abandona a escola antes de completar a última série. É o que indica o Relatório de Desenvolvimento 2012, divulgado pelo Pnud (Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento). Com a taxa de 24,3%, o Brasil tem o terceiro maior índice de abandono escolar entre os 100 países com maior IDH (Índice de Desenvolvimento Humano).

Diante desta realidade, o diretor-presidente da APROESP, Profº Elias Rahal Neto, atribui à evasão escolar a diversos fatores. “Nos dias de hoje, muitos alunos precisam ajudar a completar o orçamento familiar, eles passam a trabalhar no lugar de frequentar as escolas. Outra questão é que vivemos em um Mundo Digital, necessitamos de ferramentas de aperfeiçoamento para acompanhar essa modernidade. A escola precisa ser um espaço de trocas de experiências, em que o aluno sinta prazer de comparecer”, declara Rahal.

O Profº Elias ainda ressalta sobre a mudança de comportamento dos alunos ao longo dos anos. “No passado havia a imposição de limites estabelecidos pelos pais, além do respeito e consideração pela autoridade do professor. Atualmente, por diversos fatores sociais desagregadores, não há esta imposição. Então coube a escola estabelecer regras, direitos e deveres aos alunos, porém a Instituição não tem esta função social, não dispomos de psicólogos, psicopedagogos, dentre outros profissionais para fornecer o devido apoio escolar”, adverte o diretor- presidente.

De acordo com o diretor da APROESP, para a retomada da qualidade de ensino, necessitamos de escolas com quadras poliesportivas, laboratórios de informática, além de atividades socioculturais como dança, teatro, música e artes plásticas em tempo integral. “É preciso também inserir a comunidade dentro das escolas, pois ela carrega consigo valores, habilidades e competências para o enriquecimento do ambiente escolar e consequentemente, para a melhoria da qualidade de ensino”, concluiu.

Publicado em Palavra do Presidente

Comente! (0) ↓