APROESP Associação de Professores e Servidores Públicos do Magistério Oficial do Estado de São Paulo

Notícias

Saiba como deixar o financiamento do seu imóvel mais leve ou curto

 

O Minha Casa Minha Vida (MCMV) é o maior programa de acesso à moradia própria para pessoas de baixa renda no país. O sucesso do programa, que atingiu mais de 5 milhões de contratos ao longo de seus 10 anos de existência, passa por uma somatória de fatores, mas, tem o financiamento imobiliário como seu principal recurso, ao possibilitar que os custos dos imóveis sejam diluídos em pequenas parcelas que podem ser quitadas em até 30 anos.

No entanto, entrar em um financiamento imobiliário longo não necessariamente significa levar todo esse tempo para quitar a dívida, e nem que o valor das parcelas precise ser o mesmo até o fim. E aí que entra a amortização, que nada mais é do que um adiantamento do pagamento do imóvel. A amortização reduz o saldo devedor perante a instituição credora, bem como os juros incidentes sobre este.

Há duas modalidades de amortização e ainda a possibilidade de utilização do FGTS com este propósito. Veja a seguir:

Redução no valor das parcelas

A modalidade reduz o valor das parcelas, tornando-as mais acessíveis e sendo uma alternativa excelente para quem deseja ter um alívio no orçamento mensal, porém, ela mantém o prazo que foi determinado inicialmente para quitar o imóvel.

Redução no tempo de financiamento

Ao contrário da opção anterior, a segunda forma de amortização reduz o tempo de financiamento, mas mantém o valor das parcelas. A opção é boa para quem não sente que as parcelas estejam pesando no bolso, pois assim é possível quitar o imóvel de forma mais rápida, além de garantir economia ao eliminar juros e taxas.

Como utilizar o FGTS para fazer a amortização de financiamento imobiliário?

O Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) também pode ser utilizado para amortizar o financiamento imobiliário, desde que o contrato de financiamento tenha sido assinado no âmbito do Sistema Financeiro Habitação. A utilização do recurso obedece às mesmas regras aplicadas na contratação do financiamento. É preciso ter, pelo menos, três anos (consecutivos ou alternados) sob o regime do fundo. Além disso, se você já usou o FGTS anteriormente, é necessário cumprir o intervalo de dois anos para um novo resgate.

Agora que você já sabe como amortizar um financiamento, estude cada possibilidade para ter a certeza de fazer o melhor negócio.

Conheça os empreendimentos Residencial Casa Grande e Condomínio Altos Bela Vista, da APROESP, em parceria com a Vicon – Vitória Construções Ltda e a KSE Empreendimentos Imobiliários Ltda. , que oferecem subsídios de até R$ 27.500 para servidores públicos estaduais associados.

Publicado em Notícias

Comente! (0) ↓